Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.upf.br:8080/jspui/handle/tede/1533
???metadata.dc.type???: Tese
Title: A formação humana em Goethe na obra : Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister
Other Titles: The human formation in Goethe in the work: The years of learning of Wilhelm Meister
???metadata.dc.creator???: Marangon, Marcio Luis 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Mühl, Eldon Henrique
???metadata.dc.description.resumo???: A pesquisa que deu origem a este texto teve por objetivo refletir sobre o conceito de formação em Johann Wolfgang von Goethe, tendo como referência a obra Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. A questão norteadora da investigação recebeu a seguinte formulação: o que é nuclear no conceito de formação de Goethe? A hipótese orientadora considera que, ao buscar uma formação omnilateral e omnicompreensiva, baseada na autoformação, Goethe consegue unificar aspectos do Romantismo e do Iluminismo, formando, assim, um conceito abrangente no que se refere à formação dos indivíduos e podendo com isso contribuir para a problematização da formação em diferentes momentos, incluindo a atualidade. Trata-se de um trabalho de metodologia predominantemente analítico-hermenêutico, pelo qual se busca explicitar as regras universalmente válidas de compreensão presentes na obra de Goethe e que tornam possível a atualidade de sua concepção de formação. A exposição está organizada em seis capítulos. O primeiro desenvolve uma análise da vida de Johann Wolgang von Goethe, apresentando aspectos de sua vida familiar, suas relações, as influências de pesquisa e da formação que recebeu, bem como partes de sua trajetória intelectual até a descrição do que o levou constituir a obra sob análise. Para tanto, foram analisadas obras de intérpretes de Goethe e também de biógrafos do autor, como Citati (1996), Lukacs (1968), Eckermann (1950), Benjamin (2009) e Simmel (2005a). O segundo capítulo aborda, de maneira cronológica, a construção da experiência formativa de Goethe, tendo como recorte os pensadores que tiveram influência clara na constituição da obra analisada: Herder, Rousseau, Espinoza, Kant, Shakespeare. O terceiro capítulo tem como foco a constituição ¿técnica e estrutural¿ da obra, abordando - através de autores clássicos como Auerbach (1976) e Bakhtin (2012) - o histórico da constituição da obra, o gênero escolhido e trabalhado por Goethe, a acolhida e as principais críticas que a obra recebeu. Já os capítulos quatro e cinco são reservados para uma análise detalhada e aprofundada dos oito livros e seus principais personagens, tendo como objetivo principal esclarecer o conceito de formação sobre o qual Goethe almejou formar-se e formar uma nação culta. O capítulo final é uma tentativa de, refletindo sobre o que foi abordado nos capítulos anteriores, definir o que pode ser considerado nuclear no conceito de formação em Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. Nas considerações finais, analisa-se a produtividade da concepção de formação ¿ Bildung - em Goethe para a atualidade, destacando três aspectos: a crítica à educação burguesa e os limites da formação meramente tecnológica; a autonomia e o autocultivo, tendo como ponto de partida a própria natureza dos indivíduos; e a omnilateralidade como formação que se expressa com um trabalho de compreensão e transformação de si sobre si mesmo e, ao mesmo tempo, de transformação do mundo. Em todos esses aspectos são indicados os pressupostos que são basilares para dialogar com as diferentes épocas, incluindo a atualidade.
Abstract: The research from the text had as objective to reflect on the concept of formation in Johann Wolfgang von Goethe, having as reference the work the Years of learning of Wilhelm Meister. The guiding question of the investigation received the following formulation: what is nuclear in the concept of formation of Goethe? The guiding hypothesis considers that in seeking an omnipolar and all-encompassing formation, based on self-formation, Goethe manages to unify aspects of Romanticism and Enlightenment, thus forming a comprehensive concept regarding the formation of individuals and thus contributing to the training at different times, including current events. It is a work of predominantly analytical-hermeneutic methodology, which seeks to make explicit the universally valid rules of comprehension present in Goethe's work and which make possible the current conception of formation. The work is organized in six chapters. The first one analyzes the life of Johann Wolgang von Goethe, presenting aspects of his family life, his relations, the influences of research and training he received, as well as parts of his intellectual trajectory to the description of what led him to constitute the work under analysis. For this, the works of Goethe interpreters and also of the author's biographers, such as Citati (1996), Lukacs (1968), Eckermann (1950), Benjamin (2009) and Simmel (2005a) were analyzed. The second chapter discusses chronologically the construction of Goethe's formative experience, with a cut of the thinkers who had a clear influence on the constitution of the work analyzed: Herder, Rousseau, Espinoza, Kant, Shakespeare. The third chapter focuses on the "technical and structural" constitution of the work, addressing - through classical authors such as Auerbach (1976) and Bakhtin (2012) - the history of the constitution of the work, the genre chosen and worked by Goethe, and the main criticisms that the work received. Chapters four and five are reserved for a detailed and in-depth analysis of the eight books and their main characters, with the main purpose of clarifying the concept of formation on which Goethe sought to form himself and to form a cultured nation. The ending is an attempt, reflecting on what was addressed in the previous chapters, to define what can be considered nuclear in the concept of formation in The Years of Learning by Wilhelm Meister. In the final considerations, the productivity of the conception of formation - Bildung - is analyzed in Goethe for the present, emphasizing three aspects: the criticism to bourgeois education and the limits of the purely technological formation; autonomy and self-cultivation, starting from the very nature of individuals; and omnilaterality as a formation that expresses itself through a work of understanding and transforming oneself and, at the same time, transforming the world. In all these aspects are indicated the basic assumptions to dialogue with the different epochs, including the actuality.
Keywords: Educação
Formação
Educação e Estado
???metadata.dc.subject.cnpq???: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
???metadata.dc.language???: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade de Passo Fundo
???metadata.dc.publisher.initials???: UPF
???metadata.dc.publisher.department???: Faculdade de Educação – FAED
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Educação
Citation: MARANGON, Marcio Luis. A formação humana em Goethe na obra : Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. 2018. 213 f. Tese( Programa de Pós-Graduação em Educação) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS, 2018 .
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/1533
Issue Date: 4-Apr-2018
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018MarcioLuisMarangon.pdfDissertação Márcio Luís Marangon1.24 MBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.