Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/1520
Tipo do documento: Dissertação
Título: Estabilização e solidificação de Cromo (VI) por biocimentação
Título(s) alternativo(s): Stabilization and solidification of chromium (VI) by biocimentation
Autor: Dall'Agnol, Bruna Bilhar 
Primeiro orientador: Thomé, Antônio
Resumo: A maioria das técnicas de melhoramento de solo que são utilizadas no mundo envolve a adição de energia mecânica e/ou materiais sintéticos, sendo que ambos têm substancial custos de energia associados à sua produção. No entanto, a técnica de biocimentação vem como intuito de melhorar as propriedades mecânicas do solo de forma sustentável. A biocimentação é a formação de material particulado por entre as partículas do solo através do metabolismo de microrganismos presentes. Os inúmeros processos microbiológicos têm o potencial para modificar o comportamento do solo. Muitas bactérias como as espécies: Bacillus, Sporosarcina, Sporolactobacillus e Clostridium possuem potencial de cimentação biológica. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi realizar a precipitação de Carbonato de Cálcio induzida por microrganismos ou biocimentação para a estabilização e solidificação de cromo hexavalente (Cr(VI)) em um solo arenoso. Foram realizados ensaios de teste de atividade urease, ensaio de biocimentação, análise de solo e lixiviado, além de MEV. Os ensaios foram realizados no laboratório de geotecnia ambiental da Universidade de Passo Fundo. Na primeira fase da dissertação, no ensaio de teste de atividade urease não autoclavado foi possível observar a adaptação dos microrganismos nativos do solo às soluções nutrientes adicionadas ao meio. Além disso, no ensaio autoclavado da urease foi possível observar que a atividade pode ser medida na ausência de microrganismos, sendo considerada química. O tempo zero em ambos os ensaios apresentou resultados semelhantes, assim, foi possível calcular a real atividade realizada por microrganismos no ensaio. Foi possível observar também que a solução nutriente C se destacou com maior atividade urease no ensaio não autoclavado com pico de atividade no tempo 10 dias, sendo a utilizada no teste de biocimentação para encapsulamento de cromo hexavalente em solo arenoso, com dois intervalos de alimentação, 2 dias como utilizado em bibliografia e 7 dias, aproximando ao pico de urease encontrado na primeira fase da dissertação. Ao final do ensaio de biocimentação na segunda fase, pode-se observar através da análise realizada no lixiviado coletado que a capacidade de retenção de contaminante é maior pelos corpos de prova alimentados com meio nutriente, aproximadamente 30%, enquanto os corpos de prova alimentados com água apresentaram retenção do contaminante mais baixa, aproximadamente 10%, depois disso com os resultados da análise do solo foi possível observar que houve biocimentação, no entanto, uma baixa concentração ficou retida no biocimento, assim afirmando que em caso de aplicação em campo, a biocimentação pode não ser efetiva, pois nesse estudo aproximadamente 70% do contaminante inserido na moldagem foi lixiviado. Concluiu-se com esse estudo que a biocimentação para solos arenosos não é eficiente com alimentação por percolação, pois o risco de espalhar a pluma de contaminação é alto, reduzindo a eficiência da técnica.
Abstract: Most of the soil improvement techniques used in the world involve the addition of mechanical energy and/or synthetic materials, both of which have substantial energy costs associated with their production. However, the technique of biocementation intend to improve the mechanical properties of soil in a sustainable way. Biocementation is the formation of particulate matter through the soil particles through the metabolism of microorganisms present. The numerous microbiological processes have the potential to modify soil behavior. Many bacteria like the species: Bacillus, Sporosarcina, Sporolactobacillus and Clostridium have potential of biological cementation. Thus, the objective of this work was to perform the precipitation of Calcium Carbonate induced by microorganisms or biocementation for the stabilization and solidification of hexavalent chromium (Cr(VI)) in a sandy soil. We perform tests of urease activity, biocementation test, soil and leachate analysis, and SEM. The tests were carried out in the environmental geotechnics laboratory of the University of Passo Fundo. In the first phase of the dissertation, in the test of non-sterilized urease activity, it was possible to observe the adaptation of the native microorganisms of the soil to the nutrient solutions added to the medium. Moreover, in the sterilized urease assay it was possible to observe that the activitymeasured in the absence of microorganisms is considered to be chemical. The zero time in both assays presented similar results, so it was possible to calculate the actual activity performed by microorganisms in the assay. It was also possible to observe that the nutrient solution C stood out with greater activity in the non-autoclaved test. The peak of activity in the time 10 days, being the nutrient solution used in the biocementation test to encapsulate hexavalent chromium in sandy soil, with two feeding intervals, 2 days as used in bibliography and 7 days, approaching the peak of urease found in the first phase of the dissertation. At the end of the second phase, it can be observed from the analysis carried out in the collected leachate that the contaminant retention capacity is higher by the nutrient medium fed specimens, approximately 30%. While the test bodies fed with water showed the lowest contaminant retention, approximately 10%. After that with the results of the soil analysis it was possible to observe that there was biocementation, however, a low concentration was retained in the biocement, thus affirming that in case of field application, the biocementation may not be effective, because in this study approximately 70% of the contaminant inserted in the molding was leached. We concluded with this study that the biocimentation for sandy soils is not efficient with percolation feeding, because the risk of spreading the plume of contamination is high, reducing the efficiency of the technique.
Palavras-chave: Mecânica do solo
Solidificação
Solos
Compactação
Cromo
Área(s) do CNPq: ENGENHARIAS::ENGENHARIA CIVIL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade de Passo Fundo
Sigla da instituição: UPF
Departamento: Faculdade de Engenharia e Arquitetura – FEAR
Programa: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental
Citação: DALL'AGNOL, Bruna Bilhar. Estabilização e solidificação de Cromo (VI) por biocimentação. 2018. 71 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/1520
Data de defesa: 17-Apr-2018
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018BrunaBilharDallagnol.pdfDissertação Bruna Bilhar Dall'Agnol 2,72 MBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.