Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/1321
Tipo do documento: Dissertação
Título: Comparação entre força muscular e flexibilidade dos membros inferiores de indivíduos com e sem Diabetes Mellitus tipo 2 /
Título(s) alternativo(s): Comparison between muscle strength and flexibility of the lower limbs of individuals with and without Diabetes Mellitus type 2
Autor: Bavaresco, Suzane Stella 
Primeiro orientador: Bettinelli, Luiz Antonio
Resumo: Objetivo: o objetivo deste estudo foi comparar a força muscular e flexibilidade dos membros inferiores de indivíduos com e sem DM2. Método: Estudo do tipo expostos e não expostos. Fizeram parte da amostra 64 pacientes com e sem diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 2. Foram incluídos indivíduos, com diagnóstico médico de DM2, encaminhados para eletroneuromiografia, e não expostos ao DM2 recrutados a partir de anúncios no Hospital participante. E, como critérios de exclusão, indivíduos com idade superior a 70 anos; indivíduos que por algum motivo não consiguiram realizar um ou ambos os testes. A amostragem foi não probabilística. Os indivíduos que preencheram os critérios de inclusão manifestaram o consentimento por assinatura do TCLE e as avaliações do estudo foram realizadas na FEFF/UPF. As variáveis numéricas foram descritas como média ± desvio padrão ou mediana (percentil25 ¿ percentil75) conforme apresentaram distribuição normal ou não normal. As variáveis numéricas foram expressas como frequência absoluta e relativa. As associações entre exposição ao DM2 ou NDP e 1) idade, altura, massa corporal, índice de massa corporal e flexibilidade foram avaliadas utilizando-se análise de variância com um critério de classificação e 2) sexo e dominância utilizando-se o teste Qui-Quadrado de Pearson com correção de continuidade. As comparações da distribuição das medidas de pico de torque entre os grupos formados por indivíduos expostos e não expostos ao diabetes ou expostos ou não à neuropatia diabética periférica foram realizadas utilizando-se análises de covariância. Foram descritos picos de torque médios estimados ajustados para idade com as respectivas estimativas de erro padrão. Considerou-se como estatisticamente significativos valores de probabilidade < 0,05. Resultados: A população em estudo foi composta por 64 indivíduos, 34 (53,1%) expostos ao DM e 30 não expostos, 50 (78,1%) eram do sexo feminino, a idade média era 60,7 ± 7,1 anos e o membro inferior dominante era o direito em 57 (89,1%) dos indivíduos. Os indivíduos expostos ao DM eram mais velhos, 62,8 ± 6,73 vs 58,2 ± 6,94 anos, p = 0,009 e com IMC mais elevado, 29,82 ± 5,20 vs 27,99 ± 3,89 Kg/m², p = 0,027 que aqueles não expostos ao DM, respectivamente. Comparando indivíduos com e sem diagnóstico de DM, observou-se menores valores no torque de flexão à esquerda, em velocidade angular de 120°, dos diabéticos e relação aos não diabéticos, 25,94 ± 2,26 vs 33,79 ± 2,4 N/M, p = 0,027, respectivamente. Observou-se redução do torque de dorsiflexão à direita, em velocidade angular de 60°, dos diabéticos em relação aos não diabéticos, 10,95 ± 0,89 vs 13,95 ± 0,96 N/M, p=0,033, respectivamente. Ao comparar indivíduos diabéticos com e sem diagnóstico de NDP, observou-se, maior déficit de flexão entre os indivíduos neuropatas quando comparados aos não neuropatas, 46,57 ± 9,47 vs 11,63 ± 13,85 N/M, p = 0,049, respectivamente. Conclusão: Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas quando comparados os grupos de expostos e não expostos ao DM2, e diabéticos neuropatas e não neuropatas.
Abstract: Objective: This study´s objective was to compare the muscle strength and flexibility of the lower limbs of individuals with and without DM2. Method: Study of the type exposed and not exposed to DM2. 64 patients with and without diagnosis of Diabetes Mellitus Type 2 were included in the sample. It was also included individuals with medical diagnosis of DM2, referred to electromyography, and not exposed to DM2, recruited from ads at the participating hospital. And, as exclusion criteria, individuals over the age of 70; Individuals who for some reason failed to complete one or both tests. The sample was not probabilistic. Individuals who fulfilled the inclusion criteria manifested consent by signing the TCLE and the study evaluations were performed at FEFF / UPF. The numerical variables were described as medium ± standard deviation or median (percentile25 - percentile75) as they presented normal or nonnormal distribution. The numerical variables were expressed as absolute and relative frequency. The associations between exposure to DM2 or NDP and 1) age, height, body mass, body mass index and flexibility were evaluated using a variance analysis with a classification criterion and 2) sex and dominance using the Pearson´s Chi -square with continuity correction. The comparisons of the distribution of peak torque measurements among groups of individuals exposed and not exposed to diabetes or exposed to peripheral diabetic neuropathy were performed using covariance analyzes. Estimated medium torque peaks were reported, adjusted for age with their respective standard error estimates. It was considered as statistically significant values of probability <0.05. Results: The study population consisted of 64 individuals, 34 (53.1%) exposed to DM and 30 nonexposed, 50 (78.1%) were female, mean age was 60.7 ± 7.1 and the dominant lower limb was right in 57 (89.1%) of the individuals. The individuals exposed to DM were older, 62.8 ± 6 .73 vs 58.2 ± 6.94 years, p = 0.009 and with higher BMI, 29.82 ± 5.20 vs 27.99 ± 3.89 Kg / m², p = 0.027 than those not exposed to DM, respectively. Comparing individuals with and without a diagnosis of DM, we observed a reduction of the left flexion torque at a 120 ° angular velocity of diabetics compared to non-diabetic patients, 25.94 ± 2.26 vs 33.79 ± 2, 4 N / M, p = 0.027, respectively. The reduction of dorsiflexion torque on the right, at angular velocity of 60 °, was observed in diabetics compared to non-diabetic patients, 10.95 ± 0.89 vs. 13.95 ± 0.96 N / M, p = 0.033, respectively. When comparing diabetic individuals with and without a diagnosis of NDP, we observed a greater flexion deficit among neuropathic individuals when compared to non-neuropathic individuals, 46.57 ± 9.47 vs 11.63 ± 13.85 N / M, p = 0.049, respectively. Conclusion: No statistically significant differences were found when compared to groups exposed to and not exposed to DM2, and neuropathic and non-neuropathic diabetics.
Palavras-chave: Diabetes
Aptidão física
Idosos x Saúde e higiene
Área(s) do CNPq: SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade de Passo Fundo
Sigla da instituição: UPF
Departamento: Faculdade de Educação Física e Fisioterapia – FEFF
Programa: Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano
Citação: BAVARESCO, Suzane Stella. Comparação entre força muscular e flexibilidade dos membros inferiores de indivíduos com e sem Diabetes Mellitus tipo 2. 2017. 79 f. Dissertação (Mestrado em Envelhecimento Humano) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/1321
Data de defesa: 24-Feb-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017SuzaneStellaBavaresco.pdfDissertação Suzane Stella Bavaresco649 kBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.