Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.upf.br:8080/jspui/handle/tede/453
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Divergência genética em aveia-branca com base na expressão fenotípica, marcadores moleculares e reação à brusone
Other Titles: Genetic diversity in white oat based on the phenotypic expression, molecular markers and reaction to blast
???metadata.dc.creator???: Santos, Jossana 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Scheffer-basso, Simone Meredith
???metadata.dc.contributor.advisor-co1???: Lângaro, Nadia Canali
???metadata.dc.contributor.advisor-co2???: Brammer, Sandra Patussi
???metadata.dc.description.resumo???: O aumento da importância econômica da aveia-branca (Avena sativa L.) desafia os melhoristas no lançamento de materiais cada vez mais competitivos. A caracterização morfológica é fundamental no processo de proteção de novas cultivares, porém possui algumas limitações, como a influência ambiental nos descritores. Estudos de divergência genética, por meio de marcadores moleculares, como os microssatélites, e também avaliações fitopatológicas, têm se tornado atividades complementares à caracterização morfológica. Esse trabalho teve como objetivo avaliar cinco cultivares de aveia-branca (IPR Afrodite, URS Corona, FAEM Carlasul, UPFA Ouro e URS Taura), quanto à expressão dos descritores morfofenológicos, marcadores moleculares e reação à brusone. 1) A expressão dos descritores frente à variação ambiental foi avaliada em dois períodos de cultivo, dentro (outono-hibernal) e fora do período recomendado (hiberno-primaveril) para a cultura. O experimento foi estabelecido no campo, em blocos casualizados, com três repetições, no qual as cultivares foram avaliadas quanto à estabilidade de 42 descritores. O atraso no período de cultivo da aveia-branca, de outono-hibernal para hiberno-primaveril, reduziu o ciclo, modificou a expressão morfofenológica da maioria dos descritores e genética entre as cultivares foi verificada por meio de 47 marcadores microssatélites. O DNA foi extraído de plantas jovens, com posterior amplificação em PCR, eletroforese em gel de agarose e visualização via brometo de etídeo. Foi calculado o número de alelos por locus e o conteúdo de informação polimórfica (PIC). As cultivares foram agrupadas pelo índice de Dice e pelo método de Tocher, apresentando a formação de três e dois grupos, respectivamente. Os marcadores amplificaram um total de 29 alelos com uma média de 1,8 alelos por locus e PIC de 0,45. Os marcadores microssatélites foram úteis na determinação da divergência genética entre cultivares de aveia-branca. 3) Para a análise da reação à brusone nas folhas, foram utilizados quatro isolados de Pyricularia oryzae. Em nove avaliações, sob condições controladas, foram quantificados: número e expansão de lesões, severidade e área abaixo da curva do progresso da doença. As folhas foram avaliadas histoquimicamente na pré-inoculação e 48 horas pós-inoculação do fungo para verificar possível efeito da doença nos grupos químicos lipídios, lignina, fenóis, flavonoides e taninos. Os dados foram submetidos às análises de variância, regressão e multivariada. As folhas apresentaram aumento na concentração de flavonoides na pós-inoculação do fungo. As cultivares apresentaram variabilidade quanto à reação à brusone. Em ordem de menor a maior suscetibilidade observou-se: URS Taura < UPFA Ouro < IPR Afrodite < FAEM Carlasul < URS Corona.
Abstract: The increasing economic importance of white oat (Avena sativa L.) challenges breeders in launching increasingly competitive materials. Morphological characterization is essential in the process of protecting new cultivars, but it has some limitations, such as environmental influence on descriptors. Studies of genetic diversity, by using molecular markers, such as microsatellites, and also phytopathological reviews, have become complementary activities to the morphological characterization. This work aimed to evaluate five cultivars of white oat (IPR Afrodite, URS Corona, FAEM Carlasul, UPFA Ouro and URS Taura), as the expression of morphophenological descriptors, molecular markers and reaction to blast. 1) The expression of the front descriptors of environmental variability was evaluated in two periods of cultivation in (Fall-Winter) and outside the recommended period (Winter-Spring) to the culture. The experiment was set up in the field, in a randomized block design with three replications, in which the cultivars were evaluated for stability of 42 descriptors. The delay in the white oat growing season, from Fall-Winter to Winter-Spring, reduced the cycle, modified the morphological expression of most descriptors and changed phenotypic divergences among cultivars. 2) The genetic divergence among cultivars was verified by 47 microsatellite markers. DNA was extracted from young plants, with subsequent PCR amplification, agarose gel electrophoresis and through ethidium bromide visualization. The number of alleles per locus and the polymorphic information content (PIC) was calculated. The cultivars were grouped by Dice index and the Tocher method, with the formation of three and two groups, respectively. Markers amplified a total of 29 alleles with an average of 1.8 alleles per locus and PIC 0.45. Microsatellite markers were useful in determining the genetic divergence between white oat cultivars. 3) For the analysis of the reaction to blast on leaves, it were used four isolates of Pyricularia oryzae. In nine assessments under controlled conditions, it were quantified: the number and expansion of the lesions, severity and area under the disease progress curve. The leaves were histochemically evaluated in pre-inoculation and 48 hours post-inoculation of the fungus to verify the possible effects of the disease on the chemical groups, lipids, lignin, phenols, flavonoids and tannins. Data were submitted to analysis of variance, regression and multivariate analysis. The leaves showed an increase on flavonoids concentration in the fungus post-inoculation. The cultivars presented variability in reaction to the blast. In lower order to higher susceptibility it was observed: URS Taura < UPFA Ouro < IPR Afrodite < FAEM Carlasul < URS Corona.
Keywords: Aveia
Histoquímica
Marcadores genéticos
Oats
Histochemistry
Genetic markers
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
???metadata.dc.language???: por
???metadata.dc.publisher.country???: BR
Publisher: Universidade de Passo Fundo
???metadata.dc.publisher.initials???: UPF
???metadata.dc.publisher.department???: Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária – FAMV
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Agronomia
Citation: SANTOS, Jossana. Divergência genética em aveia-branca com base na expressão fenotípica, marcadores moleculares e reação à brusone. 2016. 137 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2016.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://10.0.217.128:8080/jspui/handle/tede/453
Issue Date: 29-Apr-2016
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Agronomia

Files in This Item:
File SizeFormat 
2016JossanaSantos.pdf814.3 kBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.