Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.upf.br:8080/jspui/handle/tede/1817
???metadata.dc.type???: Tese
Title: Cuidado e formação em Heidegger: bases filosóficas para uma ressignificação da Bildung
Other Titles: Heidegger Care and Training: Philosophical Bases for a Bildung Reframing
???metadata.dc.creator???: Doro, Marcelo José 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Dalbosco, Claudio Almir
???metadata.dc.description.resumo???: Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa sobre o tema da formação, que tem como referência a filosofia de Martin Heidegger. A questão orientadora da pesquisa é se podemos identificar, nos escritos da primeira fase do pensamento desse filósofo, elementos para uma resposta atual ao problema da formação. O que chamamos de problema da formação é a possibilidade de o indivíduo constituir e guiar a si mesmo a partir de e em seu mundo. Nossa hipótese interpretativa é de que, mesmo sem aparecer explicitamente como tal, o tema da formação permanece no horizonte das discussões heideggerianas acerca da condição humana. Da investigação dessa hipótese, nasce o objetivo geral do trabalho: identificar aspectos e conceitos da primeira fase do pensamento de Heidegger pertinentes à discussão e à atualização do conceito de formação. Uma hipótese complementar aponta para a riqueza semântica do conceito de cuidado e seus momentos constitutivos como base para o movimento ontológico que leva de uma condição inicial de não formação para uma autêntica formação de si mesmo. A caracterização desse conceito e a sua exploração em relação ao tema da formação constituem objetivos específicos da investigação. E à medida em que tais hipóteses se confirmam, revelando a resposta de Heidegger ao problema da formação, mostramos, ainda, como essa resposta se posiciona em relação à noção clássica da Bildung e à sua matriz grega, a paideia. A natureza do problema e os objetivos traçados para seu enfrentamento revelam de antemão o caráter bibliográfico da pesquisa, que se orienta por dois princípios hermenêuticos fundamentais: primeiro, a necessidade de manter a coerência interpretativa entre o todo e as partes, buscando a compreensão das partes a partir do todo e do todo a partir das partes; e, segundo, o respeito à historicidade das ideias. Como obra síntese da primeira fase do pensamento heideggeriano, Ser e tempo torna-se a referência básica deste trabalho. Outros escritos do período também são consultados, com destaque para os cursos Introdução à filosofia e Os problemas fundamentais da fenomenologia, e, ainda, para o texto A teoria platônica da verdade. A tese central que apresentamos com base na pesquisa realizada é de que a filosofia de Heidegger oferece uma resposta ao problema da formação que, sob aspectos gerais, mantémse próxima à tradição, mas que é, substancialmente, muito diferente: formação equivale à transformação, por parte do indivíduo, de sua condição inicial de imersão irrefletida no mundo, a ser conduzida sem qualquer vínculo com verdades absolutas ou ideais universais; a formação pensada na perspectiva da filosofia heideggeriana constitui-se pelo despertar do indivíduo para a sua liberdade radical, o que se dá numa luta constante contra as tendências mundanas ao ocultamento e à dissimulação de seu ser (e poder-ser) no mundo. Com base nessa ideia ressignificada de formação, acreditamos ser possível não apenas fundamentar uma crítica aos limites da formação estritamente profissional que permeia as discussões e as práticas educacionais hodiernas como também esboçar as linhas gerais para uma educação que respeite e favoreça a liberdade ontológica dos indivíduos.
Abstract: This study presents the results of a research on the topic of education, which reference is the philosophy of Martin Heidegger. The guiding question of the research is whether it is possible to identify, in the writings of the first phase of this philosopher’s thought, elements for a current answer to the problem of education. What we call the “problem of education” is the possibility of individuals to cultivate and guide themselves from and in their world. Our interpretative hypothesis is that, even without explicitly appearing as such, the topic of education remains on the horizon of Heidegger’s discussions about the human condition. The investigation of this hypothesis originates the general objective of the study: to identify aspects and concepts of the first phase of Heidegger’s thought that are relevant to the discussion and update on the concept of education. A complementary hypothesis indicates the semantic richness of the concept of care and its constitutive moments as the basis for the ontological movement that leads from an initial condition of non-formation to an authentic self-education. The characterization of this concept and its exploitation in relation to the topic of education constitute the specific objectives of the research. Additionally, as such hypotheses are confirmed, revealing Heidegger's response to the problem of education, this study shows how such response stands in relation to the classical idea of Bildung and its Greek origin, paideia. The nature of the problem and the objectives set for its confrontation reveal beforehand the bibliographical character of the research, which is guided by two fundamental hermeneutical principles: first, the need to maintain interpretative coherence between the whole and the parts, aiming to understand the parts from the whole and vice versa; and second, the respect for the historicity of ideas. As Being and Time is the main work of the first phase of Heidegger’s thought, it becomes the basic reference of this study. Other writings of this period are also consulted, especially the courses of Introduction to Philosophy and The Basic Problems of Phenomenology, as well the text of Plato’s Doctrine of Truth. The central thesis presented based on the research performed is that Heidegger’s philosophy offers a response to the problem of education, which, in general terms, remains close to tradition, but is substantially different. Education is equivalent to transformation, by individuals, from their initial condition of unreflective immersion in the world, to be conducted free of absolute truths or universal ideals; education from the perspective of Heidegger’s philosophy is constituted by the awakening of individuals to their radical freedom, which occurs in a constant struggle against worldly tendencies to concealment and dissimulation of their being (and power-being) in the world. From this redefined idea of education, it may be possible not only to support a critique on the limits of the strictly professional training that permeates the current discussions and educational practices, but also to outline the general guidelines for an education that respects and favors the ontological freedom of individuals.
Keywords: Análise do discurso
Educação - Filosofia
???metadata.dc.subject.cnpq???: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
???metadata.dc.language???: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade de Passo Fundo
???metadata.dc.publisher.initials???: UPF
???metadata.dc.publisher.department???: Faculdade de Educação – FAED
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Educação
Citation: DORO, Marcelo José. Cuidado e formação em Heidegger: bases filosóficas para uma ressignificação da Bildung. 2019. 136 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS, 2019.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.upf.br:8080/jspui/handle/tede/1817
Issue Date: 3-Feb-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019MarceloJoseDoro.pdfTese Marcelo José Doro829.53 kBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.