Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/117
Tipo do documento: Dissertação
Título: A ação popular (AP) no Rio Grande do Sul : 1962-1972
Autor: Dias, Cristiane Medianeira Ávila 
Primeiro orientador: Reckziegel, Ana Luiza Gobbi Setti
Resumo: Esta dissertação trata da trajetória da Ação Popular (AP) no Rio Grande do Sul entre 1962 e 1972. Buscou-se analisar as ideias, formas de atuação, táticas e estratégias que a AP adotou em âmbito estadual, salientando-se os vínculos e as diferenças em relação à AP nacional. Observou-se que a Ação Popular após a sua fundação (1962) apoiou, mesmo que de forma crítica, o plano reformista de João Goulart, tendo participado do Movimento de Educação de Base (MEB) e formado junto com o Partido Comunista Brasileiro (PCB) e os chamados Independentes, a Frente Única, que manteve a hegemonia dentro do movimento estudantil estadual até o golpe civil-militar de 1964. Após o golpe, a AP passou por um período decisões e rupturas internas, mas continuou desenvolvendo ações junto ao o movimento estudantil e operário, optando por não aderir à luta armada. Em 1967, a AP adotou a política de integração na produção que determinava o envio de seus militantes para trabalharem junto a camponeses e operários em várias regiões do país. O envio de militantes tornou-se mais intenso após a decretação do AI-5, em dezembro de 1968. Neste sentido, militantes foram enviados para o Rio Grande do Sul em meados de 1969 para organizar o setor estudantil e operário da AP, que havia sofrido os efeitos da repressão com o afastamento da maior parte de seus integrantes. Além disso, a AP estruturou um esquema de passagem de militantes para o Uruguai e a Argentina através do estado que ficou conhecido como Esquema de Fronteira. As ações da AP praticamente acabaram no ano de 1972, quando a maior parte dos seus integrantes foi presa pelo DOPS em Porto Alegre. A pesquisa utilizou fontes tais como documentação produzida nos órgãos de repressão (DOPS, SOPS), na Comissão Especial de Investigação Sumária (CEIS) da UFRGS; jornal Correio do Povo e depoimentos de militantes da organização. O referencial teórico baseou-se nos conceitos desenvolvidos por Antonio Gramsci de intelectual orgânico, hegemonia, senso comum, bom senso e bloco histórico. O trabalho também se amparou nos conceitos de memória condicionada, desenvolvido por Jacques Le Goff, e pela definição de fronteiras ideológicas, desenvolvido por Luiz Alberto Moniz Bandeira
Abstract: This thesis examines the trajectory of the Popular Action (PA) in Rio Grande do Sul between 1962 and 1972. In this study, one has aimed to examine the ideas, forms of action, tactics and strategies that the PA adopted statewide, emphasizing the links and differences in relation to the national PA. One has observed that, after its foundation in 1962, the Popular Action supported, although critically, the reformist plan of João Goulart. The Popular Action participated in the Basic Education Movement (BEM) and, together with the Brazilian Communist Party (BCP) and the so-called "Independent", created the United Front, which maintained its hegemony within the student movement up to the state civil-military coup of 1964. After the coup, the PA went through a period of splits and internal divisions, but continued to develop actions to the worker and the student movement, opting not to join the armed struggle. In 1967, the PA adopted the integrated-production policy, which determined that militants would have to work alongside peasants and workers in various regions of the country. Sending militants became more intense after the decree of the AI-5 in December 1968. In this sense, militants were sent to Rio Grande do Sul in the mid-1969 to organize the PA student and worker sector, which had suffered the effects of repression with the removal of most of its members. In addition, the PA organized a crossing militants scheme to Uruguay and Argentina that was known as "Scheme of Border." The PA actions nearly ended in 1972, when most of its members were arrested by the Department of Political and Social Order (DPSO) in Porto Alegre. This research was based on documents produced by organs of repression such as the DPSO, the Special Comission of hummary Investigation (SCSI) at UFRGS, the newspaper Correio do Povo and testimonies of militants from the organization. The theoretical framework was based on concepts like intellectual organic, hegemony,common sense, good sense and historic bloc, as developed by Antonio Gramsci. This study also considered the concepts of "memory-free", as developed by Jacques Le Goff and the definition of "ideological frontiers", as developed by Luiz Alberto Moniz Bandeira
Palavras-chave: Ação popular
Rio Grande do Sul - História - 1962-1972
Popular actions
Rio Grande do Sul (Brazil) - History, 1962-1972
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA::HISTORIA DO BRASIL::HISTORIA REGIONAL DO BRASIL
Idioma: por
País: 
Instituição: 
Sigla da instituição: 
Departamento: História
Programa: Programa de Pós-Graduação em História
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://10.0.217.128:8080/jspui/handle/tede/117
Data de defesa: 20-Jun-2011
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em História

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
2011CristianeMedianeiraAvilaDias.pdf945,97 kBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.