Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/1036
Tipo do documento: Dissertação
Título: Vivências de idosos em comunidades rurais
Autor: Machado, Mariéli Terezinha Krampe 
Primeiro orientador: Portella, Marilene Rodrigues
Primeiro coorientador: Migott, Ana Maria Bellani
Resumo: A expectativa de vida no Brasil e no mundo esta aumentando consideravelmente e vários estudiosos alertam para um significativo aumento do contingente de idosos. Outra característica marcante da sociedade contemporânea é o aumento da concentração populacional urbana, onde geralmente centralizam-se mais recursos para a manutenção das atividades da vida diária. Em contraponto a esta realidade, observa-se de maneira distanciada a população rural que acaba contando, na maioria das vezes com o apoio familiar. Assim o estudo teve por objetivo conhecer como vivem os idosos e a interface da dinâmica familiar em contexto rural. Avaliar a funcionalidade da dinâmica familiar utilizando a escala de APGA(Adaptation, Partnership, Growth, Affection, Resolve) da família, descrever o perfil sociodemográfico dos idosos residentes em comunidades rurais e delinear as concepções de vivência em família e cuidado na velhice manifesta pelos participantes. O cenário da pesquisa foi o município de Flor do Sertão, situado no oeste de Santa Catarina. O delineamento da pesquisa foi de abordagem quanti- qualitativa de caráter descritivo. Para coleta de dados utilizou-se entrevista individual aplicando um questionário adaptado do instrumento SABE (Saúde, Bem-estar e Envelhecimento), o APGAR de família e grupos focais (GF). Foram entrevistados 156 idosos e nos GF participaram dez idosos, de ambos os sexos, em cada microárea rural do município. Os resultados indicaram uma faixa etária predominante entre 60a 69 anos, idosos na maioria casados, católicos, da cor branca, que nasceram em áreas rurais e continuam a morar ali por opção. A maioria são aposentados e ainda trabalham na agricultura e nos afazeres domésticos. Cerca de 75% dos idosos são portadores de patologias crônicas, 74,3% hipertensão arterial sistêmica, 11,2 % doenças cardíacas, 7,9 pulmonares e 3,9% possuem diabetes mellitus. Assim, 77% dos idosos fazem uso de medicamentos de maneira contínua sendo que 42,1% usam mais de dois comprimidos ao dia. Contam com cuidadores de faixa etária entre 56 e 75 anos que geralmente são o (a) companheiro (a), ou filhos (as). Possuem boa funcionalidade familiar o que ficou evidente em 89,5% dos casos. Relatam que mesmo morando distante da sede das comunidades rurais em 61,2% dos casos, não se sentem sozinhos, pois contam com uma rede de vizinhança, com recursos tecnológicos como o telefone que encurta distâncias e alguns ainda referendaram os animais de estimação que os fazem companhia. O transporte e a dificuldade de acesso a alguns serviços essenciais foram problemas evidenciados pelos idosos, principalmente em casos de emergência onde dependem de familiares ou vizinhos. Diante da potencialidade dos dados coletados, o estudo somara aos demais, descrevendo a realidade de idosos que vivem em áreas rurais e inclusive servirá de base para a elaboração de estratégias de saúde que visem à manutenção da qualidade de vida desta população
Abstract: Life expectancy in Brazil and in the world is increasing considerably and several scholars warn of a significant increase in the number of elderly. Another striking feature of contemporary society is the increase in urban population concentration, which usually centered upon more resources for the maintenance of activities of daily living. In contrast to this reality, we observe detached way of the rural population which finishes counting, most often with family support. Thus the study aimed to know how to live the elderly and the family dynamic interface in a rural context. Evaluate the functionality of the family dynamics using the APGAR scale (Adaptation, Partnership, Growth, Affection, Resolve) family, describe the sociodemographic profile of elderly residents in rural communities and outline the conceptions of experience in family and care in old age manifested by participants. The research scenario was the city of Flor do Sertão, situated in the west of Santa Catarina. The research design was quantitative and qualitative approach of descriptive. For data collection, we used individual interviews applying a questionnaire adapted from the instrument KNOW (Health, Welfare and Aging), the Family APGAR and focus groups ( FG). 156 seniors were interviewed and participated in FG ten elderly of both sexes in every rural micro area of the municipality. The results indicated a predominant age group between 60 to 69 years, most seniors are married, catholic, caucasian origin who were born in rural areas and continue to live there by choice. Most are retired and still working in agriculture and household chores. About 75 % of older people with chronic diseases, 74,3 % hypertension, 11.2% heart disease, lung 7,9 and 3.9 % had diabetes mellitus. Thus, 77 % of elderly people use drugs continuously and 42.1 % use more than two tablets per day. Rely on caregivers aged between 56 and 75 who are usually partner or children. Have good family feature which was evident in 89,5 % of cases . Reported that even though they live far from the headquarters of rural communities in 61.2% of cases, do not feel lonely, as have a network of neighborhood, with technological resources such as the phone shortens distances and some even referendaram pets that do company. The transport and difficult access to some essential services problems were evidenced by the elderly, especially in cases of emergency where depend on relatives or neighbors. Given the potential of the data collected, the study Somara to others, describing the reality of older people living in rural areas and even serve as the basis for the development of health strategies aimed at maintaining quality of life in this population
Palavras-chave: Idosos - Saúde e higiene
População rural
Envelhecimento
Qualidade de vida
Elderly - Health care
rural population
Aging
Quality of life
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade de Passo Fundo
Sigla da instituição: UPF
Departamento: Ciências da Saúde e Ciências Biológicas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano
Citação: MACHADO, Mariéli Terezinha Krampe. Vivências de idosos em comunidades rurais. 2014. 73 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde e Ciências Biológicas) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://10.0.217.128:8080/jspui/handle/tede/1036
Data de defesa: 29-Mar-2014
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
2014MarieliTerezinhaKramp Machado.pdf1,23 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.