Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/1054
Tipo do documento: Dissertação
Título: Doenças Osteoarticulares : prevalência e tratamento fisioterapêutico
Título(s) alternativo(s): Osteoarticular diseases: prevalence and physical therapy
Autor: Pancotte, Julia 
Primeiro orientador: Doring, Marlene
Primeiro coorientador: Wibelinger, Lia Mara
Resumo: O processo de envelhecimento vem ocorrendo, em nível populacional, de forma crescente nas últimas décadas e encontra-se associado ao aumento das doenças crônico-degenerativas. Entre essas doenças, estão as osteoarticulares; sendo as mais frequentes nos idosos a osteoporose, osteoartrite e artrite reumatoide. São consideradas causas de alta prevalência de dor crônica e de comprometimento da funcionalidade, da força muscular, do equilíbrio, da coordenação motora e das atividades de vida diária, causando dor, rigidez e repercutindo na qualidade de vida dos portadores. Objetivo: Investigar a prevalência da osteoartrite e a presença de fatores de risco em frequentadores de um grupo de convivência e avaliar a intervenção fisioterapêutica sobre a capacidade funcional, força de preensão palmar, equilíbrio, flexibilidade e massa muscular dos portadores de osteoartrite, osteoporose e artrite reumatoide. Métodos: Esta dissertação é composta por dois estudos com amostragem por conveniência. Participaram do primeiro estudo, 391 indivíduos frequentadores de um centro de convivência de ambos os sexos, com 50 anos de idade ou mais. As variáveis consideradas foram presença de osteoartrite, sexo, cor/raça, idade, início da menopausa, estado nutricional, histórico de quedas e de fraturas decorrentes de quedas, uso de medicamentos, percepção de saúde e diagnóstico de doenças relatado pelos participantes. Participaram do segundo estudo, 38 indivíduos provindos de um centro de convivência e de uma clínica escola de Fisioterapia, de ambos os sexos, que relataram portar uma ou mais doenças osteoarticulares ¿ osteoartrite, osteoporose e artrite reumatoide. Consideraram-se as variáveis: presença dor articular e outras morbidades, mão dominante, articulações acometidas e uso de prótese. Foram avaliados pré e pós-intervenção fisioterapêutica as variáveis de perimetria de membros superiores, flexibilidade de ísquiotibiais, capacidade funcional, equilíbrio e força de preensão palmar. As intervenções fisioterapêuticas ocorreram duas vezes por semana, por dois meses, 60 minutos de duração cada, totalizando de 10 a 16 sessões. Os exercícios compreenderam em alongamento, fortalecimento, treino de marcha, de equilíbrio, de propriocepção, de sensibilidade e de coordenação motora, mobilidade articular e liberação miofascial. A análise estatística realizada foi descritiva e inferencial. Resultados: No primeiro estudo (amostra exclusivamente do centro de convivência), dos 391 indivíduos participantes, 32 (7,7%) relataram osteoartrite, 377 (96,4%) eram do sexo feminino, 187 (47,9%) de idade entre 60 a 69 anos, 326 (84,1%) cor/raça branca, 191 (48,8%) apresentavam estado nutricional eutrófico, 328 (83,9%) relataram não ter caído no último ano, 361 (92,3%) faziam uso de medicamentos, 282 (72,2%) consideravam sua saúde como muito boa ou boa, e dentre as mulheres, 306 (78,3%) atingiram a menopausa após os 55 anos de idade. A hipertensão arterial sistêmica foi relatada por 223 (53,9%) indivíduos. Quando comparada presença de osteoartrite com as demais variáveis, mostraram-se associadas percepção de saúde (p=0,033) e relato de quedas (p=0,020). No segundo estudo, dos 32 indivíduos, 30 (93,8%) eram do sexo feminino, 17 (53%) possuía de 60 a 69 anos, 18 (60%) usavam 4 ou mais medicamentos, 29 (90,6%) não utilizavam prótese articular e 20 (62,5%) possuíam HAS associada as doenças osteoarticulares. Das três doenças investigadas, a mais frequente foi a osteoartrite (60,9%); já, as articulações mais acometidas foram joelho (32%), quadril (16%), metacarpofalangeanas (16%) e coluna vertebral (16%). Todos relataram a mão direita como dominante. Para variável capacidade funcional, 14 (43,7%) indivíduos apresentaram-se em categoria superior posteriormente a intervenção fisioterapêutica. A perimetria do membro superior direito não apresentou diferença significativa comparada pré e pós-intervenção fisioterapêutica; ao contrário, a força de preensão palmar da mão direita e esquerda, perimetria de membro superior esquerdo, equilíbrio e flexibilidade foram significativas (p<0,05). Conclusões: Com o primeiro estudo, pode-se perceber que, a osteoartrite, considerada uma doença de alta prevalência entre a comunidade, mostrou-se pouco prevalente na amostra estudada, possivelmente por serem frequentadores de um centro de convivência e pela sua condição fisicamente ativa. O perfil descrito por esse estudo concorda em sua maioria com a descrição da literatura quanto aos fatores de risco sexo feminino, idade e menopausa acima de 55 anos e sobrepeso. Baseado nos resultados do segundo estudo, a cinesioterapia mostrou-se eficaz na manutenção ou na melhora do equilíbrio, da força de preensão palmar, capacidade funcional, flexibilidade de ísquiotibiais e perimetria de membros superiores de indivíduos portadores de osteoartrite, osteoporose e artrite reumatoide
Abstract: The aging process is taking place at the population level, increasingly in recent decades and is associated with increased chronic diseases. Among these diseases are osteoarticular; the most frequent in the elderly osteoporosis, osteoarthritis and rheumatoid arthritis. They are considered causes of high prevalence of chronic pain and functionality impairment, muscle strength, balance, coordination and activities of daily life, causing pain, stiffness and reflecting on the quality of life of patients. Objective: To investigate the prevalence of osteoarthritis and the presence of risk factors in patrons of a community center and assess the physical therapy intervention on functional capacity, grip strength, balance, muscle flexibility and mass of osteoarthritis patients, osteoporosis and arthritis rheumatoid. Methods: This dissertation consists of two studies with convenience sampling. Participated in the first study, 391 individuals who regularly attended a center of coexistence of both sexes, 50 years of age or older. The variables considered were the presence of osteoarthritis, gender, color / race, age, onset of menopause, nutritional status, history of falls and fractures from falls, medication use, health perception and diagnosis of diseases reported by the participants. Participated in the second study, 38 individuals stemmed from a community center and a school clinic of physiotherapy, of both sexes, who reported carry one or more bone-joint diseases - osteoarthritis, osteoporosis and rheumatoid arthritis. The variables were considered: presence joint pain and other morbidities, dominant hand, affected joints and use of prosthesis. They were assessed before and after physical therapy intervention variables perimetry of the upper limbs, hamstrings flexibility, functional capacity, balance and grip strength. The physical therapy interventions occurred twice weekly for two months lasting 60 minutes each, totaling from 10 to 16 sessions. The exercises understood in stretching, strengthening, gait training, balance, proprioception, sensitivity and coordination, joint mobility and myofascial release. The statistical analysis was descriptive and inferential. Results: In the first study (sample only the community center) of the 391 individuals participants, 32 (7.7%) reported osteoarthritis, 377 (96.4%) were female, 187 (47.9%) age between 60 to 69 years, 326 (84.1%) color / white race, 191 (48.8%) were eutrophic nutritional status, 328 (83.9%) reported having not fallen in the last year, 361 (92.3 %) were using drugs, 282 (72.2%) considered their health as very good or good, and among the women, 306 (78.3%) reached menopause after 55 years old. Hypertension was reported by 223 (53.9%) individuals. Compared presence of osteoarthritis with the other variables, were associated health perception (p = 0.033) and history of falls (p = 0.020). In the second study of 32 subjects, 30 (93.8%) were female, 17 (53%) were from 60 to 69 years, 18 (60%) used four or more drugs, 29 (90.6%) not using prosthetic joint and 20 (62.5%) had hypertension associated osteoarticular diseases. Of the three investigated diseases, osteoarthritis was more frequent (60.9%); already the most affected joints are the knee (32%), hip (16%), metacarpophalangeal (16%) and spine (16%). All reported his right hand as dominant. For variable functional capacity, 14 (43.7%) individuals were in the top category after the physical therapy intervention. The perimeter of the right upper limb showed no significant difference compared pre- and post-physical therapy intervention; instead, the grip strength of right and left hand, perimetry left upper limb, balance and flexibility were significant (p<0.05). Conclusions: In the first study, it can be seen that, osteoarthritis, considered a highly prevalent disease among the community showed little prevalent in the sample, possibly because they were frequenting a community center and their physical condition active. The profile described in this study agrees mostly with the description of the literature regarding female risk factors, age and menopause over 55 and overweight. Based on the second study results, therapeutic exercise was effective in maintaining or improving balance, grip strength, functional capacity, hamstrings flexibility and perimetry upper limbs of patients with osteoarthritis, osteoporosis and rheumatoid arthritis
Palavras-chave: Envelhecimento
Fisioterapia
Osteoartrite
Aging
Physiotherapy
Osteoarthritis
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade de Passo Fundo
Sigla da instituição: UPF
Departamento: Ciências da Saúde e Ciências Biológicas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano
Citação: PANCOTTE, Julia. Osteoarticular diseases: prevalence and physical therapy. 2016. 72 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde e Ciências Biológicas) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://10.0.217.128:8080/jspui/handle/tede/1054
Data de defesa: 25-Feb-2016
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano

Files in This Item:
File SizeFormat 
2016JuliaPancotte.pdf429,03 kBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.